Cerveja Maldita

 2013 O início da história da Maldita.

 Artur e Gonçalo Faustino, pai e filho, são os mentores da Faustino Microcervejeira, empresa aveirense de produção de Cerveja Artesanal, que se prepara para apresentar no mercado a Cerveja Maldita. Ambos são apaixonados por cerveja e, em nome dessa paixão, Gonçalo desafiou o pai a abraçar este projeto, com um objetivo claro: no segmento das cervejas artesanais, daqui a dois anos, a Maldita será a cerveja portuguesa mais premiada a nível internacional. A Litoral Magazine apresenta-lhe mais um projeto Made in Portugal.

Em finais de 2012 Gonçalo vê, finalmente, o seu sonho ganhar forma.

Após terminar a sua formação em Engenharia Química na Universidade de Aveiro apresentou um projeto na UAtec (Unidade de Transferência de Tecnologia da Universidade de Aveiro), que foi aceite de imediato.

A ideia saiu do papel e está em incubação na IEUA (Incubadora de Empresas da Universidade de Aveiro) e prepara-se para apresentar a Cerveja Maldita ao mercado. Os objetivos estão definidos e a estratégia pensada. ” 2013 é-nos apresentado como um ano maldito para investimentos, mas a vontade e a paixão colocadas neste projeto são tão grandes que a Maldita tinha que ganhar vida” afirmam os mentores.

Gonçalo começou por testar e degustar cerveja ainda estudante. O gosto muito apurado e a pouca oferta deste tipo de produto no mercado Português levaram-no a procurar formas de produzir a sua própria cerveja. Após identificar os fornecedores certos de materiais e ingredientes, que garantissem a qualidade da cerveja, produziu, em 2008, a primeira cerveja. Desde então, produz cerveja regularmente. Como amador, começou a produzir cerveja a partir de kits, foi adquirindo experiência e posteriormente iniciou a produção de cerveja a partir de receitas de grão. A sua formação base deu uma ajuda na projeção de todo o processo de fabrico de cerveja assim como a experiência adquirida após anos de produção cervejeira resultou na criação das suas próprias receitas.

Assim que detetaram a existência de “uma oportunidade no mercado, onde existem poucas opções de escolha deste tipo de cerveja”, decidiram avançar.

“A cerveja artesanal é 100% natural, não tem qualquer tipo de aditivos, injeção de gás ou diluições. A cerveja vem na garrafa com a própria levedura”, explica Gonçalo Faustino, descrevendo o resultado final como tendo “um sabor muito mais intenso e, sobretudo, muito puro”.

A cerveja Maldita vai apresentar-se ao mercado em 3 variedades: a Robust Porter, vulgar e erradamente conhecida como cerveja Preta, é uma cerveja de aromas torrados com notas de café, chocolate e caramelo, apresenta uma textura encorpada e uma espuma constante e bem definida de cor acastanhada; a English BarleyWine, vulgarmente conhecida por Ruiva, oferece um aroma frutado, mais intenso e duradouro, apresenta uma cor acobreada e notas leves a caramelo, conjugadas com um amargor característico, possui uma espuma branca desvanescente, característica deste estilo de cerveja; por fim a Bohemian Pilsener, conhecida como Loira, apresenta uma doçura que contrasta com um ligeiro amargor, é uma cerveja mais consensual devido ao seu aroma a especiarias e à leveza do seu sabor.

 Neste projeto também está presente a valorização de momentos e a Cerveja Maldita quer introduzir o conceito de Beer Pairing.

Este conceito visa enaltecer a experiência sentida quando se disfruta de uma refeição, conjugando e potenciando os sabores da comida com os desta bebida. Esta experiência será tão mais intensa quanto mais os sabores presentes se complementarem. A cerveja Maldita, devido às suas características, apresenta-se como sendo um verdadeiro catalisador de sabores, pretendendo introduzir este conceito inovador nos hábitos dos mais exigentes.

Este é, aliás, o grande desafio da Maldita, despertar sensações através dos sabores muito próprios da cerveja artesanal em todos os consumidores que tiverem contacto com esta bebida.

A Maldita tem organizado alguns eventos onde o Cervejeiro Gonçalo, para além de apresentar as cervejas Maldita, desafia cada um dos presentes a descobrir a experiência Maldita.

A recetividade tem sido fantástica e o feedback muito positivo, o que valoriza ainda mais este projeto. Comentários como “não bebo cerveja, mas desta gosto”, ou “tem um sabor completamente diferente de todas as cervejas que já provei” fazem parte das observações dos pioneiros da história Maldita.

Fruto destes eventos, existem neste momento alguns espaços que pretendem acolher a Maldita. São espaços onde a filosofia Maldita já está presente, passando um dos principais objetivos pela oferta aos clientes que os visitam não só de uma refeição, mas também de uma experiência que lhes permita despertar as mais variadas sensações através dos diferentes sabores.

A história da Maldita é mais uma história que Aveiro vê nascer – tal como tantas outras que ao longo do tempo transformaram Aveiro numa cidade de tantos sabores, onde o doce sabor dos ovos-moles contrasta com o sabor salgado do sal. É aqui, entre esta explosão de sabores que a Maldita quer conquistar o seu lugar. São estes sabores que servem de inspiração ao Cervejeiro Maldito e é a procura constante do equilíbrio que move este novo e saboroso projeto.

Faustino Microcervejeira espera ter as suas cervejas disponíveis no mercado em Maio.

Para além da possibilidade de aquisição online, a região de Aveiro será a primeira zona Maldita, sem esquecer, no entanto, que “o objetivo é criar uma marca forte de crescimento sustentado que permita, a curto prazo, encarar o mercado de uma forma mais global”.


This site is protected with Urban Giraffe's plugin 'HTML Purified' and Edward Z. Yang's Powered by HTML Purifier.